11/12/2012

Foguete científico é lançado do Centro de Alcântara


GPS espacial
Um foguete de sondagem VS-30/Orion foi lançado com sucesso neste fim de semana, a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.
O foguete levou experimentos científicos do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).
Segundo a Agência Espacial Brasileira (AEB), o lançamento foi feito para dar apoio a um projeto de estudos sobre a ionosfera e a alta atmosfera.
Outro objetivo do lançamento é o desenvolvimento de sistema GPS para uso espacial, realizado em cooperação entre a UFRN e o IAE.

Foguetes de treinamento
O primeiro estágio do foguete (VS-30) foi produzido pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).
O segundo estágio, o propulsor Orion, foi fornecido pelo Centro Espacial Alemão (DLR) como resultado da colaboração ao programa espacial brasileiro.
O conjunto tem um comprimento total de 8,87 metros. Neste lançamento, o foguete alcançou um apogeu de 428 quilômetros, em um voo de 652 segundos.
Este foi o nono lançamento efetuado neste ano, sendo oito de foguetes de sondagem e treinamento.

20/11/2012

Viajando nas estrelas

Caçador de planetas ganha verba para procurar 'parasitas estelares', e grupo da Nasa afirma que viagem mais rápida que a luz pode não ser tão difícil quanto se imaginava antes.
A julgar pelo corajoso trabalho de alguns cientistas, o futuro da exploração espacial parece bastante promissor. Enquanto o maior caçador de planetas americano sai em busca de supercivilizações, um físico da Nasa desenvolve um meio de visitá-las.
Geoff Marcy, da Universidade da Califórnia, ficou famoso a partir de 1995, quando começou a descobrir uma penca de planetas fora do Sistema Solar - e por pouco não inaugurou esse campo de estudo, iniciado meses antes por Michel Mayor, do Observatório de Genebra.
Encorajado pelo sucesso, ele agora decidiu investir seus talentos em trabalhos mais especulativos. E o surpreendente é que lhe deram a verba - inicialmente modesta, é verdade - para isso. O dinheiro, equivalente a R$ 400 mil, vem da britânica Fundação Templeton. O plano mais chamativo que Marcy tem para o financiamento é a busca de povos alienígenas extremamente avançados, tão tecnológicos que chegariam a modificar estrelas.

 Tais povos criariam estruturas apelidadas de esferas de Dyson em torno de suas estrelas natais. Elas serviriam para obter o máximo possível de recursos energéticos de determinado astro. E esse "parasitismo" cósmico deixaria traços na luminosidade que escapa da estrela, permitindo, em tese, que telescópios aqui na Terra detectassem tais pistas.
 Apressadinho - Enquanto isso, Harold "Sonny" White trabalha em um laboratório do Centro Espacial Johnson, da Nasa, para tornar as viagens interestelares possíveis. Com as tecnologias atuais, atravessar a vasta distância entre as estrelas é dureza. Veja, por exemplo, a espaçonave Voyager-1, lançada em 1977 e hoje o objeto mais distante já enviado pelo homem ao espaço. Se fosse apontada na direção de Alfa Centauri, o sistema estelar mais próximo, ela chegaria lá em cerca de 75 mil anos.
 Pior ainda, as viagens interestelares esbarram na inconveniente teoria da relatividade, que dita que nada pode viajar mais depressa que a luz. O limite de velocidade universal seria, portanto, 300 mil km/s – 4,3 anos para chegar a Alfa Centauri.

A saída seria usar outro truque da relatividade. Se, por um lado, há um limite máximo de velocidade, por outro a teoria sugere que é possível "curvar" o espaço, compactando-o e esticando-o conforme a necessidade.
 Essa foi a premissa usada na série de TV "Jornada nas Estrelas" para impulsionar a nave Enterprise. Encurtando o espaço à frente da nave, pode-se viajar a uma velocidade modesta e ainda assim, para um observador externo, ir mais rápido que a luz.
 Ficção? Em 1994, o físico mexicano Miguel Alcubierre escreveu um artigo científico sugerindo que tal feito seria possível, mas exigiria níveis de energia equivalentes à massa de Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar.
 Versão 2.0 - Harold White vem trabalhando em cima do problema e descobriu que, mudando a configuração da criação do campo de dobra, é possível obter o mesmo efeito com energia equivalente à da massa da espaçonave Voyager-1, pouco mais de 700 kg. "As descobertas mudam o status da pesquisa de impraticável para plausível e meritória de mais investigação", diz White, que está montando um experimento de laboratório para testar a ideia.
 Usando lasers e uma bobina com forma de anel, ele espera criar a primeira demonstração experimental de uma dobra espacial, que tentará distorcer o espaço-tempo em escalas submicroscópicas. Ainda é muito pouco para levar uma nave até Alfa Centauri, mas seria ao menos uma prova de princípio.

Mesmo com a redução da energia necessária (e vale dizer que 700  kg de matéria convertida em energia equivale ao consumo anual dos EUA), ainda resta um problema: as distorções para a dobra espacial exigem o que os físicos chamam de densidade de energia negativa.
 Isso não é expressamente proibido pela física (no mundo quântico, das partículas elementares, às vezes surgem quantidades diminutas de energia negativa), mas ninguém sabe como chegar lá. Um teste de laboratório talvez seja capaz de funcionar com os efeitos quânticos diminutos que os físicos já geram, mas uma espaçonave exige bem mais.

 Para resolver isso, os físicos estão explorando soluções como manipular energia escura (a força de expansão acelerada do Universo, hoje pouco compreendida) e a possibilidade de que existam mais dimensões além das quatro que conhecemos. Há muito trabalho pela frente.

14/10/2012

Óptica Geométrica


Galera, não deixem de assistir a esse vídeo sobre óptica. É o resumo de tudo que vamos estudar.

11/10/2012

Nobel de Física vai para interações entre luz e matéria


O francês Serge Haroche e o americano David J. Wineland levam prêmio por experimentos em ótica quântica.
Dois físicos que conseguiram observar o comportamento individual de partículas fundamentais em experimentos receberam o Prêmio Nobel de Física de 2012. David Wineland, da Universidade do Colorado, conseguiu aprisionar íons (núcleos de átomos) pela primeira vez em armadilhas eletromagnéticas usando lasers para "paralisar" as partículas. Serge Haroche, do College de France, foi pioneiro no estudo de fótons, partículas de luz, aprisionadas dentro de armadilhas de espelho. Ambos os pesquisadores nasceram em 1944.
 Ambos foram pioneiros no campo de estudos que hoje é conhecido como óptica quântica. Seus trabalhos ganharam aplicações na construção de relógios de alta precisão e vem sendo usados no desenvolvimento da computação quântica, que busca processar informação com velocidade várias ordens de grandeza acima daquela que computadores convencionais atingem.
 "Os laureados do Nobel abriram as portas para uma nova era de experimentação na física quântica ao demonstrarem a observação direta de partículas quânticas individuais sem destruí-las", justificou a Real Academia de Ciência da Suécia, responsável pela escolha.


07/10/2012

Por que estudar Física?

Você já se perguntou isso alguma vez? Que tal pensar um pouquinho a partir desse vídeo de menos de 3 minutos?

06/10/2012

Alô, galerinha

Moçadinha do Alaor, coloque aqui o seu post sobre os Princípios da Óptica Geompetrica

28/09/2012

Leis de Newton, vamos nessa!!!

Galera,
Aqui começa o material para estudo das leis de Newton. São resumos e exercícios e alguns vão além do que já vimos.Não se assustem, é só esperar que a gente chega lá. De qualquer forma, é bom ir fazendo aqueles que correspondem aos tópicos que já vimos.
mais tarde tem vídeo novo.
Leis I  Leis II  Leis III  Leis IV

vídeo

23/09/2012

O caso dos dois sóis


Trata-se de um fenômeno óptico chamado Parhelia. Quem disse que viu, não estava enganado, só se deixou levar por uma ilusão. Consequência disso? No máximo sinal de que vem chuva por aí.

O chefe do CPPMet e doutor em meteorologia, professor Gilberto Diniz, explica que o fenômeno ocorre devido à formação das nuvens cirrus. Constituídas em grande parte por numerosos cristais de gelo que se distribuem em longas tiras pelo céu. Essas nuvens refratam e refletem a luz solar em halos - aquela espécie de coroa que se forma em volta do sol. Da Terra, ilusão de que existem mesmo dois sóis.

O fenômeno pode acontecer também com a luz da lua. "Em qualquer um dos casos representa indício de chuva", informa o professor. E, desta vez, realmente foi o que ocorreu. As pancadas de chuva nas regiões onde ocorreu o fenômeno vieram logo em seguida.
Galerinha, esse é o vídeo piloto para aquele programa de complementação das aulas. Fiz sozinho e por isso não está lá grande coisa, mas o que vale é o conteúdo.
Espero melhorar a qualidade no próximo.

21/09/2012

19/09/2012

Galera do 3º Ano Cardoso Fontes


Atenção, moçada,
O trabalho que faremos no IV bimestre consistirá de 4 partes: resumo, pôster e experimento ou vídeo demonstrativo e relato. O tema deve estar incluso nos itens abaixo. Os grupos deverão ter 6 ou 7 participantes que poderão ser de qualquer das 3 turmas.
Na próxima semana (dia 24 ou 26, de acordo com a turma) os grupos já deverão estar montados e o tema escolhido. A partir daí, cada grupo terá um monitor (do Pibid).
Comecem a pensar sério sobre isso, pois a avaliação do bimestre será toda baseada nessa tarefa.
Qualquer dúvida, pergunte aqui. Se você já montou seu grupo e escolheu o tema, post aqui.

Temas:
Mecânica                        Termologia                 
01 Cinemática                 05 termometria
02 Dinâmica                    06 calorimetria
03 Estática                       07 termodinâmica
04 Hidrostática

Óptica
08 Óptica Geométrica          Ondas
09 Óptica da Visão               10  MHS

Eletricidade                          Outros Tópicos
11 Eletrostática                     13 Física Moderna
12 Eletrodinâmica                 14 Física das Partículas                                  15 CERN/LHC 

Trabalho sobre Vetores

Galerinha,
as questões para o trabalho estão à direita.
Divirtam-se

12/09/2012

Tempestade Solar em 2013


      O Congresso dos Estados Unidos alertou os norte-americanos para a necessidade de se prepararem para uma forte tempestade solar, após alerta da NASA.

      O Congresso dos Estados Unidos fez um alerta aos norte-americanos para estes se prepararem para aquilo que está a ser denominado como a "tempestade solar do século". Num documento elaborado pelos parlamentares, foi pedido às comunidades locais para se precaverem com os recursos necessários de modo a poderem abastecer as populações com um mínimo de energia, alimentos e água em caso de emergência. De igual modo, é destacada a importância de tomar medidas de prevenção adequadas a este tipo de fenômenos, articuladas entre as comunidades vizinhas, uma vez que é necessária uma boa coordenação entre todos.
            Segundo avança o jornal espanhol "ABC", o texto do Congresso também cita várias informações elaboradas pela Proteção Civil, pelo regulador de energia elétrica e pelo Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos, explicando a forma de atuar perante estes fenómenos. O objetivo é incentivar as práticas preventivas, bem como definir a natureza da ameaça, de forma a que os cidadãos possam estar preparados.
            Espanha, Alemanha, França e Reino Unido, são alguns dos países que, tal como os Estados Unidos, já estão a tomar "importantes medidas ao nível da prevenção".
Este mês a NASA alertou para o fato de que, em 2013, o Sol chegará a uma fase do seu ciclo onde grandes explosões e tempestades solares serão mais prováveis e deverão afetar o nosso planeta.
            O Sol tem ciclos solares com média de 11 anos e atualmente estamos numa fase de aumento da atividade, o que se traduz em maior número de manchas na superfície da estrela. É possível que haja outros ciclos mais longos, mas só existem registos das manchas solares desde meados do século XVIII. Por isso, é difícil fazer previsões sobre a atividade da nossa estrela.

02/09/2012

CERN 2012

É isso aí, galera. Um grande sonho na área profissional realizado. Estar no CERN é uma experiência fabulosa. Espero que muitos de vocês, meus alunos, possam ter um dia essa oportunidade.

13/08/2012

A Fenomenal "Curiosidade"


artigo de Marcelo Gleiser (é professor de física teórica no Dartmouth College, em Hanover, EUA).

Só se você estiver em hibernação profunda ou inconsciente terá perdido, nesta semana, em meio às várias transmissões olímpicas, o sensacional feito dos engenheiros e cientistas da NASA. Após anos de preparativos e meses de voo, a sonda exploratória Curiosity (Curiosidade) foi depositada em Marte, o planeta que tanto fomenta a imaginação humana.

A máquina é do tamanho de um Mini Cooper, pesando em torno de uma tonelada. Transportá-la por centenas de milhões de quilômetros e pousá-la no local desejado é um feito de tirar o chapéu.

E tudo foi feito automaticamente, por computadores a bordo, já que o pouso levou sete minutos e as comunicações com a Terra demoram 14, devido à distância. Ou seja, um robô ultrassofisticado pousou por si só em Marte. Sua função principal? Buscar por traços de vida, atual ou extinta, na superfície e no subsolo marciano.

Marte é como já sabíamos: seco, frio, proibitivo. Na imagem, podem ser vistos pedregulhos na superfície. Com seus instrumentos, a Curiosity vai coletar amostras do solo e do subsolo e analisá-las quimicamente, buscando traços de matéria orgânica ou de processos metabólicos que indiquem a presença, no presente ou no passado, de algum tipo de vida.

Marte de hoje, com uma atmosfera mais rarefeita do que a da Terra, composta quase que só por gás carbônico, é bem diferente do planeta de bilhões de anos atrás. Por meio de estudos da geologia marciana e dos depósitos de água que ainda existem lá, estima-se que, quando a Terra era ainda um bólido de fogo e lava, Marte já houvesse se acalmado e fosse bem mais quente e úmido. Cânions ressecados indicam que a água já fluiu em abundância por lá. E onde há água pode haver vida. 
Claro, muita gente espera que a Curiosidade encontre algum traço de vida em Marte, mesmo que já defunta. Ainda que não encontre, aprenderemos muito. Afinal, acoplada à questão da existência de vida extraterrestre está sua abundância ou raridade. Se não encontrarmos sinais de vida em Marte, planeta diferente mas não tão diferente da Terra, ficará difícil justificar que exista vida em abundância fora daqui. 
Por isso buscar vida em Marte é tão importante. Ela pode estar lá e escapar aos nossos métodos de detecção; se achar vida na Terra é fácil, em outros locais ela pode estar bem mais escondida ou ter características que desconhecemos, se bem que é uma possibilidade remota. Vida precisa de água, carbono e alguns outros ingredientes básicos. Formas exóticas, usando amônia em vez de água ou silício em vez de carbono, são concebíveis mas pouco plausíveis. 

Temos o privilégio de poder viver essa busca e participar dela do conforto dos nossos lares. Algo que deve ser celebrado como uma das proezas da nossa história coletiva.

11/08/2012

Traços exóticos da 'partícula de Deus' surpreendem físicos


Estudo com participação de brasileiro indica que bóson de Higgs pode não se encaixar em teoria mais aceita hoje. Análise preliminar dá pistas de partículas ainda desconhecidas; outros cientistas pedem cautela com os dados.
A partícula de Deus está, ao que parece, do jeito que o diabo gosta: malcomportada. É o que indica uma análise preliminar de dados coletados no LHC, maior acelerador de partículas do mundo.

O trabalho, feito por Oscar Éboli, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), sugere que o chamado bóson de Higgs, que seria responsável por dar massa a tudo o que existe, não está se portando como deveria, a julgar pela teoria que previu sua existência, o Modelo Padrão. Se confirmado, o comportamento anômalo da partícula seria a deixa para uma nova era da física.

A descoberta do possível bóson, anunciada com estardalhaço no mês passado, foi comemorada como a finalização de uma etapa gloriosa no estudo das partículas fundamentais da matéria. Sua existência, em resumo, explicaria porque o Sol pode produzir sua energia e criaturas como nós podem existir.

Para analisar o bóson de Higgs, é preciso primeiro produzir uma colisão entre prótons em altíssima velocidade - função primordial do LHC. Então, do impacto de alta energia, surgem montes de novas partículas, dentre as quais o Higgs, que rapidamente decai, como se diz.

É que, por ser muito instável, o bóson se "decompõe" quando a energia da colisão diminui. Aparecem, no lugar dele, outras partículas. É esse subproduto que pode ser detectado e indicar a existência do bóson de Higgs. Contudo, isso exige a realização de muitos impactos, até que as estatísticas comecem a sugerir a presença do procurado bóson.

Surpresa bem-vinda - A novidade anima os cientistas. "Para a maioria dos físicos, o Modelo Padrão é uma boa representação da natureza, mas não é a teoria final", afirma Éboli. "Se de fato for confirmado que o Higgs está decaindo mais que o esperado em dois fótons, isso pode significar que novas partículas podem estar dentro do alcance de descoberta do LHC."

Poderia ser o primeiro vislumbre de um novo "zoológico" de tijolos elementares da matéria. Previa-se que essas partículas exóticas começassem a aparecer com as energias elevadas do LHC.

Tudo muito interessante, mas nada resolvido. "É um trabalho muito sério, mas eu acho que ainda é muito cedo para se tirar qualquer conclusão se se trata ou não do Higgs padrão", afirma Sérgio Novaes, pesquisador da Unesp que participa de um dos experimentos que detectaram o bóson de Higgs. "Até o final do ano as coisas estarão um pouco mais claras", avalia ele.

05/08/2012

Forças Intratômicas


A força nuclear forte é uma das forças fundamentais da Natureza – sendo estas, forças não redutíveis a qualquer outra e que regulam o modo como a matéria interage entre si-, representada pelo contato entre os quarks e glúons. Sendo que, inicialmente era considerada originária pelas interações entre os prótons e os nêutrons por acreditar que esses eram indivisíveis. Crença derrubada pela teoria das partículas quânticas.
Quarks
Os quarks são uma das partículas fundamentais do Universo (a outra partícula fundamental são os léptons – constituintes dos elétrons) e se caracterizam por estarem no núcleo atômico. Mais precisamente nos prótons e nos nêutrons: uma vez que os prótons e os nêutrons são nada mais que uniões de quarks de determinadas cargas e massas.
Basicamente, são classificados 6 tipos de quarks (nomeados em flavors – sabores, em inglês). Mas apenas dois realmente nos interessam: dado a sua importância na formação das partículas subatômicas. São eles: quarks Up e Down.
Os quarks Up possuem carga positiva, e os Down negativa. Para a formação de um próton necessita-se de dois quarks Up e um Down; para um nêutron, 2 quarks Down e um Up.
Glúons
Os glúons, mais uma espécie de partículas fundamentais – mas desprovidos de massa ou carga elétrica-, são os mediadores das interações entre os quarks, funcionando como uma “cola” (glue – em inglês) que os mantêm unidos. Portanto, são os glúons que “seguram” os quarks Up e Down de modo a constituir os prótons e os nêutrons. Dessa interação glúon-quark é originada a força nuclear forte – que tem como papel fundamental manter os quarks juntos uns aos outros, bem como os nêutrons e prótons no núcleo atômico.


01/08/2012

Ministério da Educação lança manual sobre redação do Enem


O Ministério da Educação (MEC) lançou ontem (30) o manual 'A Redação no Enem 2012 - Guia do Participante' com informações sobre critérios de avaliação da redação do exame. O guia vai orientar estudantes sobre como se preparar para a prova, que será aplicada nos dias 3 e 4 de novembro.
"O guia vai trazer tudo que o aluno precisa saber sobre o que os avaliadores vão considerar para dar nota [na redação]. O estudante vai saber exatamente em que pode perder pontos e qual a estratégia para ter o melhor desempenho possível", disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

A medida havia sido adiantada pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, na mesa-redonda 'Desafios do Enem', realizada no dia 25 de julho, durante a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Mais detalhes no link: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=83434.

Das 3.700 redações que receberam nota máxima (mil pontos) no Enem 2011, seis foram selecionadas e aparecem no guia com comentários. De acordo com Costa, os autores das redações selecionadas "desenvolveram o tema de acordo com as exigências do texto dissertativo-argumentativo" e demonstraram "domínio da norma culta de língua escrita".

25/07/2012

Apresentação sobre Vetores

Galera,
Apresentação em Power Point sobre vetores. Apesar de não estar completa, posto aqui para que vocês comecem a pensar no assunto.
para baixar a apresentação, clique AQUI

24/07/2012

Brasileiros trabalham para tornar tecnologia nuclear mais segura


Melhorias na saúde, preservação do meio ambiente e produção de energia elétrica são os pontos positivos de uma área da Física que ainda provoca temor em boa parte da população
Radiação e radioatividade tornaram-se palavras malignas em nossa sociedade. Analfabetismo científico, sensacionalismo em coberturas jornalísticas de acidentes nucleares, além de mutantes e outros exageros inventados pela ficção científica contribuíram para criar uma visão apocalíptica da Física Nuclear.

A energia nuclear é controversa desde o seu início. Chernobyl e Fukushima são exemplos de como a radioatividade pode ser perigosa. Até o Brasil, em proporções bem menores, já teve seu acidente nuclear. Foi em 1987, quando a curiosidade e ignorância de dois catadores de lixo expôs centenas de pessoas à radiação emitida por uma única cápsula que continha césio-137, encontrada numa máquina de radioterapia de um instituto médico desativado.
Para saber mais clique AQUI

22/07/2012

O Dentro sem Fora

Ferreira Gullar é o melhor poeta vivo do Brasil. Cronista aos domingos da Folha de São Paulo, ele não podia deixar de falar sobre o BÓSON DE HIGGS. Ele o faz com toda sua malandrice de garoto maranhense.
Para aqueles que desejam seguir carreira como jornalista ou qualquer outra profissão de Humanas, pensem no quanto é bom para a mente humana estar aberta ao novo, seja em que área for.
Leia a crônica

05/07/2012

A Partícula de Deus




Em seu último relatório, no fim do ano passado, eles já sugeriam ter encontrado algo, mas não descartavam um alarme falso.
Agora, eles já cravam categoricamente a existência da nova partícula. Só não admitem com todas as letras que se trata da almejada "partícula de Deus".
"Apesar de os eventos [de colisões de partículas no acelerador] sugerirem que estejamos diante do bóson de Higgs, a confirmação de que se trata realmente da partícula predita requer mais medidas comparativas", afirma Sérgio Novaes, físico da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e membro da Colaboração CMS, um dos dois experimentos do LHC que servem de base para o anúncio.
Ossos do ofício, num esforço que envolve análise de dados de milhões de colisões de partículas para que, estatisticamente, seja possível chegar a alguma conclusão definitiva.
De toda forma, o novo achado dá toda pinta de que se trata mesmo do almejado bóson.

SEM ERRO
Os cientistas descartam a essa altura que alguma flutuação estatística seja responsável pelo achado.
A probabilidade de não ser uma nova partícula, e sim algum engano, é de menos de 1 em 1,7 milhão. Cometer um erro desses é tão improvável quanto ganhar na loteria.
Ainda mais porque o resultado é confirmado pela combinação de dois experimentos do LHC Atlas e CMS e está alinhado com os dados obtidos pelo Fermilab, nos Estados Unidos, com seu antigo acelerador Tevatron, hoje desativado.

CONCORRÊNCIA
Na segunda-feira, os americanos chegaram a divulgar suas últimas análises dos velhos dados, que mostravam a indicação de uma partícula com as características do bóson de Higgs e uma energia entre 115 e 135 giga-elétronvolts (GeV), com 90% de confiança.
Entretanto, ainda estava longe do grau de exigência da comunidade para tratar o resultado como uma descoberta.
Somente agora, com os resultados do LHC é possível cravar a existência da nova partícula, com energia de 125 GeV.

FIM OU RECOMEÇO?
 A descoberta do Higgs há anos é apresentada como a principal motivação para a construção do LHC. Agora que a partícula provavelmente foi encontrada, pode ficar para o público uma sensação de vazio. Mas o sentimento não é compartilhado pelos físicos.
"Em primeiro lugar, há um equívoco em associar o LHC só ao bóson de Higgs", afirma Ronald Shellard, físico de partículas do CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas) e vice-presidente da SBF (Sociedade Brasileira de Física).
"Todos concordamos que o bóson de Higgs não vale US$ 10 bilhões. Essa máquina, o LHC, foi concebida para explorar o Universo além do Modelo Padrão. A descoberta do Higgs coroa o maior feito intelectual da história da humanidade até agora, uma teoria que explica uma infinidade de fenômenos naturais", disse. "Mas, para o LHC, ela é apenas o começo."

28/06/2012

Matemática é pedra no caminho tecnológico


A falta de capacitação da mão de obra, principalmente em matemática, pode frustrar a expectativa do setor de tecnologia de aumentar as exportações em 8% ao ano e terminar a próxima década em US$ 20 bilhões.
Com mercado de trabalho empregando 1,2 milhão profissionais, o Brasil forma 85 mil, segundo a Brasscom (associação das empresas de tecnologia). O México, principal rival regional, forma 115 mil e tem 600 mil vagas. Para mover o setor, que cresce 10% ao ano, mas ainda exporta pouco, as empresas precisam de funcionários capacitados. A Brasscom calcula que o País vá fechar o ano com 115 mil vagas abertas.
Os pontos fracos são a instabilidade cambial e o alto custo de eletricidade e de serviços de telecomunicação. Nenhum dos gargalos, no entanto, compara-se ao da mão de obra, amplificado pela deficiência na educação básica. A dificuldade com matemática reduz ainda mais a quantidade de profissionais que podem ser contratados.
                                                          (Folha de São Paulo)
Deu pra entender? Emprego não falta, o que falta é gente que não fez dos estudos um passatempo sem sentido...

27/06/2012

Cientistas propõem olimpíada do conhecimento paralela à Olimpíada de 2016


A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciência (ABC) propuseram ao Governo Federal promover paralelamente aos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, uma olimpíada internacional do conhecimento com competições em diversas disciplinas (astronomia, matemática, física, química, biologia, por exemplo) e em diferentes níveis de ensino.
"A ideia é envolver as escolas em um processo de difusão do conhecimento", explicou a presidente da SBPC, Helena Nader. A proposta foi apresentada nesta segunda-feira (25/06), em Brasília, dando início ao diálogo com as instituições organizadoras das distintas modalidades de olimpíadas. A previsão inicial é que o anúncio oficial da iniciativa ocorra durante o Fórum Mundial da Ciência, marcado para novembro de 2013, no Brasil.

Helena quer que, desde o ensino fundamental, os estudantes se inspirem nos cientistas bem como nos esportistas. "Como é que faz para que o jovem deseje não só ser igual ao Neymar, mas também queira subir ao pódio porque fez uma prova sensacional de matemática, português ou ciências?", questionou. Para ela, a olimpíada do conhecimento pode ser um grande estímulo para a aprendizagem e até para a carreira científica.

A proposta dos cientistas foi bem recebida pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação, que reúnem os organizadores das diversas olimpíadas que se realizam periodicamente no Brasil, tais como as de Matemática, da Língua Portuguesa e de Astronomia e Astrofísica.

Além de uma olimpíada do conhecimento, a SBPC e a ABC propuseram uma olimpíada de inovação e empreendedorismo e que sejam instalados museus de ciências nos estádios de futebol em construção ou reforma para a copa de 2014. "Podemos ensinar Física com o movimento dos atletas; ou ensinar Química e Biologia com a contração dos músculos", sugeriu Helena.
(Com informações da Agência Brasil e Ascom do MCTI)

17/06/2012

Exercício de MRUV

galerinha do 1º ano do Liceu e do 2º ano do Cardoso Fontes, essa é para vocês!
Um exercício que engloba as funções horárias do MRUV; um exercício que vale a pena aprender.

14/06/2012

Aula de Eletro

Galera, aula sobre associação de resistores, no youtube, parte 1 (associação em série)

http://www.youtube.com/watch?v=rVg2R7FdyD8&list=UU-NuAfoUK_-QT_VdW7RDICQ&index=1&feature=plcp

associação em paralelo
http://www.youtube.com/watch?v=gJE7CDCTNpM&feature=youtu.be

exercícios sobre associação em paralelo

http://www.youtube.com/watch?v=D3Wg7RGYgOE&feature=youtu.be



Associação de Resistores (aula)

Galerinha,
Estou postando uma tentativa de aula gravada. Não sei se ficou boa, mas tem um bom áudio.
Preciso de críticas e sugestões para melhorar, pois quero muito gravar outras.
Bom, então vai aí.
\aula/

13/06/2012

Conheça a mais alta tecnologia do mundo: o LHC

Galera do Liceu,
Organizei esse vídeo para que possamos conhecer o Grande Colisor de Partículas, o LHC.
Gostaria muito que todos vocês assistissem.
YOUTUBE

Conversaremos sobre o vídeo nas próximas semanas.
Se quiser, comente aqui o que achou, o que entendeu e o que não.

Sobre o trabalho, não esqueça de colocar nome, número e turma.

LHC - Large Hadrons Collider

Quer saber mais sobre o grande colisor de partículas?
Clique AQUI

08/06/2012

Pesquisa

Clique no link abaixo e responda a pesquisa.
Você pode ganhar vários prêmios preciosos
que serão divulgados em breve.
PESQUISA
Se quiser, comente aqui sobre a pesquisa.

Física e Criatividade

modelagem dos tipos de movimento
turma 1004 - Liceu 
A ideia era apresentar o conteúdo estudado da forma que os alunos quisessem - através de música, dramatização, pintura, áudio-visual - e eles não mediram esforços e deram um show de criatividade.


 escolinha do professor Raulmundo

Vídeo sobre Gravidade

Galera, vamos ver um pouco da história da Gravidade, com Galileu e Newton.

07/06/2012

Vire-se nos 30!!!

Galerinha, postei uma nova lista de exercícios na página ao lado.
São mais 30 questões para você estudar e fixar o conteúdo.
Em breve (amanhã ou depois) posto aqui o gabarito.

05/06/2012

Divisão de Números Decimais

Um grande nó da matemática fundamental é a divisão de números decimais. Quando acontece aparecer uma operação assim nos cálculos de um problema, seja no 1º ou no 3º ano do Ensino Médio, a galera corre pegar a calculadora. Mas não adianta fazer isso nas aulas, pois quando for pra valer, o Sr. Enem não vai deixar você usar. Então é preciso aprender.
Que tal fazer isso com um sotaque lusitano? O site ENSINO BÁSICO  é um ótimo canal para buscarmos aquela revisão - tão necessária! - em Matemática de que tanto falamos em aula.

31/05/2012

Prova de Física

Galera,
Aproveite o final de semana para ter um momento de descontração fazendo essa prova de Física. Aproveite que não é todo dia que você tem a chance de ver uma prova assim...

21/05/2012

Em Busca da Matemática Perdida

Hoje, conversando com a turma 2002, no Cardoso Fontes, sobre as dificuldades em Matemática, uma aluna (Talita) levantou uma questão crucial: e quem não teve uma boa formação matemática no Ensino Fundamental?
Quero repetir aqui o que tenho dito em todas as salas de aula onde surge essa conversa: não adianta chorar o leite derramado. O que passou, passou. O que se pode fazer é tentar construir uma Matemática a partir de agora. Mas como?
O Youtube está cheio de aulas sobre todas as matérias, mas eu gostaria de recomendar muito especialmente, as aulas do Salman Khan.
Aqui vai um link sobre uma aula de Física. A partir desse link, você pode procurar outras aulas, principalmente sobre aqueles assuntos de matemática que você já  esqueceu ou mesmo nem teve.
http://www.youtube.com/watch?v=os5Ilh00VPE
Bons estudos!!

16/05/2012

1º Ano Liceu - Vídeo sobre Queda livre


Galera, vamos assistir a esse vídeo para que posamos discurtir:
Se você assistir, comente com o seu nome e turma
  • queda livre
  • velocidade terminal
  • tempo cinematográfico x tempo real

15/05/2012

Participação. Esse é o lance!

A aluna Louise nos brindou com uma exposição muito interessante sobre associação de resistores, mostrando o circuito que ela montou.
essa participação na aula vale mais do que mil palavras do professor. Isso é fazer acontecer a aula de verdade, Essa coisa de ficar num cantinho da sala só copiando o que se escreve no quadro, nunca foi aula.
E o Yuri foi lá, de livre e espontânea vontade, ajudá-la...
Parabéns, Louise!

08/05/2012

Vestibular CEDERJ

Moçada,
As inscrições para o vestibular CEDERJ estão terminando. Você tem até 20 de maio para se inscrever nos cursos de Licenciatura em Matemática e Ciências Biológicas e Pedagogia, para o polo de Petrópolis.
É a chance para quem quer fazer carreira no Magistério e formar-se numa estadual, sem sair de Petrópolis.
As inscrições podem ser feitas no link http://vestibular.cederj.edu.br/index.php?option=com_content&view=frontpage&Itemid=19

01/05/2012

Alunos saem do fundamental sem saber o básico


Levantamento da Unesco baseado na Prova Brasil mostra que cerca de 30% dos estudantes vão para o ensino médio com pouca noção de Português e Matemática.
Praticamente uma em cada cinco crianças terminou o ensino fundamental em 2009 sem ter alcançado condições básicas de compreensão de texto. Quando a disciplina muda para matemática, o dado é mais assustador. Aproximadamente 39% dos estudantes que concluíram os primeiros nove anos do ciclo educacional, entre 2005 e 2009, não tem o nível básico de competência para resolver problemas, como se espera de um aluno nessa etapa do ensino. Os índices da Prova Brasil de 2005, 2007 e 2009 mostram, segundo análise da Organização das Nações Unidas para a Educação (Unesco), que, em algum momento, o sistema educacional brasileiro falhou.
Para o coordenador de educação da Unesco, Paolo Fontani, os números mostram que o processo de aprendizado, para esses alunos, foi interrompido. "Esse tipo de atraso tem um impacto muito forte na capacidade de continuar a aprender por toda a vida", alerta. Segundo ele, esses dados apontam que o aprendizado envolve três pilares com elementos de justiça social, equidade e inclusão. "Não podemos considerar que a responsabilidade dessa falha é da criança. Não é ela que tem que se adaptar. O sistema tem que ser capaz de ser inclusivo para fazer com que cada um tenha oportunidade de aprendizado."
O especialista em ensino com ênfase em matemática da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) Cleyton Hércules Gontijo destaca que, além do suporte familiar, um plano de ensino poderia ajudar a mudar esse cenário. "As diretrizes curriculares poderiam ser melhores. Os professores deveriam saber exatamente o que os estudantes devem aprender em cada etapa escolar e esse documento deveria ser o mesmo para todo País." Programas com foco no currículo nacional, jornada de tempo ampliada, melhoria nas instalações físicas das escolas e qualificação dos docentes completam a lista de sugestões do especialista.
Para o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, falta uma "política de financiamento mais robusta" para garantir a implementação efetiva da educação em tempo integral nas escolas públicas brasileiras. "Na verdade, o problema é ainda mais sério. Em média, o aluno brasileiro estuda 3,7 horas por dia, sendo que a jornada parcial imposta pelo Conselho Nacional de Educação é de 5 horas. Então, antes de pensarmos em educação integral, é preciso garantir carga horária de cinco horas para todo País", critica.
(Correio Braziliense)

28/04/2012

23/04/2012


Praticamente todas as formas de energia usadas na nossa sociedade têm origem
associada ao Sol, desde alimentos que consumimos até os combustíveis que movem
nossos veículos. (fotos: Sxc. hu e Wmedia Commons)

O nascer do Sol é um dos mais belos espetáculos da natureza. Nas grandes cidades, infelizmente, ele passa despercebido, não somente devido à correria do dia a dia, mas também devido ao fato de que os altos prédios e a poluição acabam ocultando-o.
Quem sai de casa cedo eventualmente tem a chance de ver esse fenômeno. Talvez muitos de nós já tenhamos observado a rápida transição que ocorre ao amanhecer. Parece que, em um instante está tudo escuro e, minutos depois, o Sol domina todo o ambiente.
A grande influência do Sol sobre nós fez com que ele fosse considerado uma divindade em muitas culturas. A sua luz e o seu calor são essenciais para a manutenção da vida na Terra.

22/04/2012

Primeiro livro de Galileu traduzido em português


O primeiro livro de Galileu Galilei agora poderá ser lido integralmente
em português, quatrocentos anos depois de ter sido publicado.
O 'responsável' pela tradução de Sidereus nuncius (Mensageiro das Estrelas) é Henrique Leitão, professor de História da Ciência na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. O pretexto foi o Ano Internacional da Astronomia, que aconteceu em 2010.
Mensageiro das Estrelas revela aquilo que Galileu viu através do seu telescópio entre finais de 1609 e março de 1610, como a rugosidade da superfície da lua, os satélites de Júpiter e muitas, muitas estrelas. "Muito mais do que se pensava existir", explica o tradutor.
Henrique Leitão considera "preocupante" a falta de uma tradução na íntegra para português das obras de Galileu e avança com uma justificação: "Há uma tendência para estas personalidades, como Galileu, serem muitas vezes mais comemorados externamente ou declamatoriamente do que realmente com estudo."
Transformar Galileu num verdadeiro objeto de estudo é assim um dos objetivos da publicação."Tem de se ler o que escreveu: dá trabalho, mas é muito recompensador. E Galileu é muito mal conhecido em Portugal."
O tradutor elogia a forma como o astrónomo conta o que vê, "com imensa arte e capacidade de perturbar as pessoas".As suas descobertas "tornaram-se em factos centrais no lançamento de um debate astronómico importantíssimo no século XVII", conclui.

18/04/2012

2º Ano Cardoso Fontes


Galerinha, aí está o material para estudo. Nossa prova será na próxima 4ª feira, dia 25 de abril, se não houver conflito com o saerj.
RESUMO I
RESUMO II e EXERCÍCIOS
Por favor, se você fizer download desse material, deixe um comentário (é só dizer: peguei - com o nome)
Qualquer problema para acessar, por favor, me comuniquem.
Bons estudos!

17/04/2012



Caetano Veloso, na música Livros do seu CD Livro, se expressa nestes belos versos:
Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação do corpo negro
Apontando pra a expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo.

Caetano está bem assessorado sobre o conteúdo de seus versos: além de músico, seu filho Moreno estudou Física na UFRJ. Mas o que significa a radiação do corpo negro e como ela se relaciona com a expansão do Universo?
Um corpo aquecido emite radiação eletromagnética em um largo espectro contínuo de comprimentos de onda, principalmente na região do infravermelho (o que pode nos dar a sensação de calor), mas com intensidade variável que atinge um máximo em um determinado comprimento de onda. É bem conhecido, por exemplo, que um metal a 600 °C, (por exemplo, em um forno elétrico) apresenta uma fraca coloração avermelhada enquanto o mesmo material (por exemplo, em uma siderúrgica) apresenta uma cor azulada a temperaturas bem mais altas. O Sol, cuja temperatura na superfície é de cerca de 6.000 °C, é o exemplo mais familiar de emissão de radiação térmica, cujo espectro abrange toda a região visível incluindo a de comprimentos de onda maiores (infravermelho) e menores (ultravioleta).
Um dos grandes problemas ao final do século XIX consistia em determinar teoricamente a intensidade da energia de radiação emitida por um corpo negro. Max Planck (1858-1957) resolveu este problema e através dele provocou uma revolução na ciência e a busca de uma base conceitual para toda a física. Ele apresentou a sua teoria na sessão da Sociedade Alemã de Física, em 14 de dezembro de 1900, data que hoje é reconhecida como a fundação da física moderna.
De modo a reproduzir os resultados experimentais, Planck teve que inventar um novo conceito: a quantização da energia. A energia de um sistema, considerada até então uma grandeza física contínua no mundo microscópico da matéria, deveria na verdade ser discreta. Esta noção de descontinuidade da energia deu origem ao nascimento da teoria quântica, que tem sido fundamental para a compreensão da matéria e da radiação.
Em dezembro de 2000, o mundo inteiro festejou o nascimento da teoria quântica que foi completada com os trabalhos de Albert Einstein (1879-1955) - que criou o quantum de luz para a radiação análogo ao quantum de energia de Planck para a matéria.
Uma das verificações experimentais mais marcantes e precisas da lei da radiação de Planck é a distribuição da energia térmica de fundo. O Universo está repleto de uma radiação cósmica de fundo a uma temperatura de 2,73 K, que é a mais importante evidência da teoria do big bang (segundo a qual o Universo foi criado por uma grande explosão) apoiada na expansão e resfriamento do Universo Max Planck, o fundador da mecânica com o tempo. Esta radiação é o mais antigo fóssil referente a um período em que a matéria (prótons e elétrons) estava em equilíbrio térmico com a radiação eletromagnética de todos os comprimentos de onda. Quando o Universo se esfriou a T = 3000 K (a matéria já era constituída de hidrogênio atômico), a interação com a radiação se dava apenas nos comprimentos de onda das respectivas linhas espectrais2 do hidrogênio. Nesta época, a maior parte da radiação se separou da matéria, esfriando-se, a entropia constante, até a atual temperatura de 2,73 K.
A primeira evidência da radiação fóssil foi encontrada por Arno Penzias (1933-) e Robert Wilson (1936-) em 1964. A distribuição espectral da radiação de fundo, as microondas cósmicas, foi obtida a partir dos anos 90 pela missão Cosmic Background Explore (COBE). Os desvios da lei de Planck são mínimos (algumas partes por milhão) e são devidos a flutuações primordiais que levaram ao aparecimento das galáxias.
Texto baseado no artigo “A Invenção do Conceito de Quantum de Energia segundo Planck” Revista Brasileira de Ensino de Física v. 22, n. 4, p. 523, 2000, por Nelson Studart.
Física na Escola, v. 2, n. 1, 2001

Vídeos sobre raios

Galera, lamento mais os vídeos são "pesados" demais.

14/04/2012

O perigo dos raios em rios e mares


Qual o efeito sobre um banhista (ou alguém que esteja em um barco) de um raio que caia em um rio ou no mar?”. O geofísico Marcelo Saba, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, responde.

Uma pessoa que se encontra no mar ou no rio a bordo de um barco não correrá tanto risco, pois não se encontra em contato com a água, por onde passará a corrente elétrica do raio.
Ao atingir o chão, por exemplo, um raio tem sua corrente elétrica difundida pelo solo. Quanto maior for a condutividade deste, maior será o alcance da eletricidade difundida.
No mar, pela alta condutividade da água, os efeitos de uma descarga elétrica serão sentidos a uma distância muito maior do que no solo. Já nos rios, lagos ou outros corpos de água doce, onde a condutividade não é tão alta, mas ainda é maior do que no solo, um alcance intermediário é esperado.
Em termos de efeito do raio, a letalidade ou não da descarga elétrica dependerá de quão distante está o ponto onde o raio caiu da pessoa. Para uma mesma distância, no mar seria mais perigoso.
As árvores, pela sua altura, independentemente de estarem próximas ou não de rios, podem atrair os raios, por isso nunca se deve procurar abrigo embaixo delas durante uma tempestade. Árvores situadas em regiões elevadas apresentam maior risco do que aquelas situadas em margens de rios que percorrem regiões de terrenos menos elevados.
Marcelo SabaGrupo de Eletricidade AtmosféricaInstituto Nacional de Pesquisas EspaciaisTexto originalmente publicado na CH 290 (março de 2012).

8º Ano do Colégio Alaor


10/04/2012

Liceu 1º Ano

Galerinha, aí está o material para estudo.
RESUMO I
RESUMO II e EXERCÍCIOS
Qualquer problema para acessar, por favor, me comuniquem.
Bons estudos!

26/03/2012

Brasil sedia evento estudantil internacional pela primeira vez


Estudantes do ensino médio de 30 países participam de 4 a 14 de agosto próximo, no Rio de Janeiro, da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA). Munidos de telescópios, calculadoras e muita criatividade, eles disputarão prêmios com estudantes brasileiros no evento que ocorre pela primeira vez no País.
No Brasil, os concorrentes são selecionados a partir da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que existe desde 1998.
Tanto a edição nacional quanto a internacional têm o apoio de diversas entidades, entre elas o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e seus Institutos de Pesquisa e Divulgação em Astronomia, o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) e o Observatório Nacional (ON); o Ministério da Educação, por meio da Capes, o Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), da Fundação Planetário do Rio de Janeiro, e da prefeitura de Vassouras (RJ).
Como país sede, o Brasil tem direito este ano a concorrer com duas equipes. Todos os estudantes farão, como todos os anos, as três modalidades de prova: observacional, na qual demonstram seus conhecimentos sobre o céu que podemos ver; teórica, na qual resolvem problemas de astronomia e astrofísica; e a prova prática, na qual utilizam e interpretam dados como um astrônomo profissional.
(Ascom do CNPq)

2º Ano Cardoso Fontes

Moçadinha,
turma 2003 e 2004: entrega das listas de exercícios I, II e III e avaliação no dia 28 de março
turma 2002: entrega das listas de exercícios I, II e III e avaliação no dia 02 de abril

LISTA II

LISTA III