28/04/2012

23/04/2012


Praticamente todas as formas de energia usadas na nossa sociedade têm origem
associada ao Sol, desde alimentos que consumimos até os combustíveis que movem
nossos veículos. (fotos: Sxc. hu e Wmedia Commons)

O nascer do Sol é um dos mais belos espetáculos da natureza. Nas grandes cidades, infelizmente, ele passa despercebido, não somente devido à correria do dia a dia, mas também devido ao fato de que os altos prédios e a poluição acabam ocultando-o.
Quem sai de casa cedo eventualmente tem a chance de ver esse fenômeno. Talvez muitos de nós já tenhamos observado a rápida transição que ocorre ao amanhecer. Parece que, em um instante está tudo escuro e, minutos depois, o Sol domina todo o ambiente.
A grande influência do Sol sobre nós fez com que ele fosse considerado uma divindade em muitas culturas. A sua luz e o seu calor são essenciais para a manutenção da vida na Terra.

22/04/2012

Primeiro livro de Galileu traduzido em português


O primeiro livro de Galileu Galilei agora poderá ser lido integralmente
em português, quatrocentos anos depois de ter sido publicado.
O 'responsável' pela tradução de Sidereus nuncius (Mensageiro das Estrelas) é Henrique Leitão, professor de História da Ciência na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. O pretexto foi o Ano Internacional da Astronomia, que aconteceu em 2010.
Mensageiro das Estrelas revela aquilo que Galileu viu através do seu telescópio entre finais de 1609 e março de 1610, como a rugosidade da superfície da lua, os satélites de Júpiter e muitas, muitas estrelas. "Muito mais do que se pensava existir", explica o tradutor.
Henrique Leitão considera "preocupante" a falta de uma tradução na íntegra para português das obras de Galileu e avança com uma justificação: "Há uma tendência para estas personalidades, como Galileu, serem muitas vezes mais comemorados externamente ou declamatoriamente do que realmente com estudo."
Transformar Galileu num verdadeiro objeto de estudo é assim um dos objetivos da publicação."Tem de se ler o que escreveu: dá trabalho, mas é muito recompensador. E Galileu é muito mal conhecido em Portugal."
O tradutor elogia a forma como o astrónomo conta o que vê, "com imensa arte e capacidade de perturbar as pessoas".As suas descobertas "tornaram-se em factos centrais no lançamento de um debate astronómico importantíssimo no século XVII", conclui.

18/04/2012

2º Ano Cardoso Fontes


Galerinha, aí está o material para estudo. Nossa prova será na próxima 4ª feira, dia 25 de abril, se não houver conflito com o saerj.
RESUMO I
RESUMO II e EXERCÍCIOS
Por favor, se você fizer download desse material, deixe um comentário (é só dizer: peguei - com o nome)
Qualquer problema para acessar, por favor, me comuniquem.
Bons estudos!

17/04/2012



Caetano Veloso, na música Livros do seu CD Livro, se expressa nestes belos versos:
Tropeçavas nos astros desastrada
Quase não tínhamos livros em casa
E a cidade não tinha livraria
Mas os livros que em nossa vida entraram
São como a radiação do corpo negro
Apontando pra a expansão do Universo
Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso
(E, sem dúvida, sobretudo o verso)
É o que pode lançar mundos no mundo.

Caetano está bem assessorado sobre o conteúdo de seus versos: além de músico, seu filho Moreno estudou Física na UFRJ. Mas o que significa a radiação do corpo negro e como ela se relaciona com a expansão do Universo?
Um corpo aquecido emite radiação eletromagnética em um largo espectro contínuo de comprimentos de onda, principalmente na região do infravermelho (o que pode nos dar a sensação de calor), mas com intensidade variável que atinge um máximo em um determinado comprimento de onda. É bem conhecido, por exemplo, que um metal a 600 °C, (por exemplo, em um forno elétrico) apresenta uma fraca coloração avermelhada enquanto o mesmo material (por exemplo, em uma siderúrgica) apresenta uma cor azulada a temperaturas bem mais altas. O Sol, cuja temperatura na superfície é de cerca de 6.000 °C, é o exemplo mais familiar de emissão de radiação térmica, cujo espectro abrange toda a região visível incluindo a de comprimentos de onda maiores (infravermelho) e menores (ultravioleta).
Um dos grandes problemas ao final do século XIX consistia em determinar teoricamente a intensidade da energia de radiação emitida por um corpo negro. Max Planck (1858-1957) resolveu este problema e através dele provocou uma revolução na ciência e a busca de uma base conceitual para toda a física. Ele apresentou a sua teoria na sessão da Sociedade Alemã de Física, em 14 de dezembro de 1900, data que hoje é reconhecida como a fundação da física moderna.
De modo a reproduzir os resultados experimentais, Planck teve que inventar um novo conceito: a quantização da energia. A energia de um sistema, considerada até então uma grandeza física contínua no mundo microscópico da matéria, deveria na verdade ser discreta. Esta noção de descontinuidade da energia deu origem ao nascimento da teoria quântica, que tem sido fundamental para a compreensão da matéria e da radiação.
Em dezembro de 2000, o mundo inteiro festejou o nascimento da teoria quântica que foi completada com os trabalhos de Albert Einstein (1879-1955) - que criou o quantum de luz para a radiação análogo ao quantum de energia de Planck para a matéria.
Uma das verificações experimentais mais marcantes e precisas da lei da radiação de Planck é a distribuição da energia térmica de fundo. O Universo está repleto de uma radiação cósmica de fundo a uma temperatura de 2,73 K, que é a mais importante evidência da teoria do big bang (segundo a qual o Universo foi criado por uma grande explosão) apoiada na expansão e resfriamento do Universo Max Planck, o fundador da mecânica com o tempo. Esta radiação é o mais antigo fóssil referente a um período em que a matéria (prótons e elétrons) estava em equilíbrio térmico com a radiação eletromagnética de todos os comprimentos de onda. Quando o Universo se esfriou a T = 3000 K (a matéria já era constituída de hidrogênio atômico), a interação com a radiação se dava apenas nos comprimentos de onda das respectivas linhas espectrais2 do hidrogênio. Nesta época, a maior parte da radiação se separou da matéria, esfriando-se, a entropia constante, até a atual temperatura de 2,73 K.
A primeira evidência da radiação fóssil foi encontrada por Arno Penzias (1933-) e Robert Wilson (1936-) em 1964. A distribuição espectral da radiação de fundo, as microondas cósmicas, foi obtida a partir dos anos 90 pela missão Cosmic Background Explore (COBE). Os desvios da lei de Planck são mínimos (algumas partes por milhão) e são devidos a flutuações primordiais que levaram ao aparecimento das galáxias.
Texto baseado no artigo “A Invenção do Conceito de Quantum de Energia segundo Planck” Revista Brasileira de Ensino de Física v. 22, n. 4, p. 523, 2000, por Nelson Studart.
Física na Escola, v. 2, n. 1, 2001

Vídeos sobre raios

Galera, lamento mais os vídeos são "pesados" demais.

14/04/2012

O perigo dos raios em rios e mares


Qual o efeito sobre um banhista (ou alguém que esteja em um barco) de um raio que caia em um rio ou no mar?”. O geofísico Marcelo Saba, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, responde.

Uma pessoa que se encontra no mar ou no rio a bordo de um barco não correrá tanto risco, pois não se encontra em contato com a água, por onde passará a corrente elétrica do raio.
Ao atingir o chão, por exemplo, um raio tem sua corrente elétrica difundida pelo solo. Quanto maior for a condutividade deste, maior será o alcance da eletricidade difundida.
No mar, pela alta condutividade da água, os efeitos de uma descarga elétrica serão sentidos a uma distância muito maior do que no solo. Já nos rios, lagos ou outros corpos de água doce, onde a condutividade não é tão alta, mas ainda é maior do que no solo, um alcance intermediário é esperado.
Em termos de efeito do raio, a letalidade ou não da descarga elétrica dependerá de quão distante está o ponto onde o raio caiu da pessoa. Para uma mesma distância, no mar seria mais perigoso.
As árvores, pela sua altura, independentemente de estarem próximas ou não de rios, podem atrair os raios, por isso nunca se deve procurar abrigo embaixo delas durante uma tempestade. Árvores situadas em regiões elevadas apresentam maior risco do que aquelas situadas em margens de rios que percorrem regiões de terrenos menos elevados.
Marcelo SabaGrupo de Eletricidade AtmosféricaInstituto Nacional de Pesquisas EspaciaisTexto originalmente publicado na CH 290 (março de 2012).

8º Ano do Colégio Alaor


10/04/2012

Liceu 1º Ano

Galerinha, aí está o material para estudo.
RESUMO I
RESUMO II e EXERCÍCIOS
Qualquer problema para acessar, por favor, me comuniquem.
Bons estudos!